Publicado em coisas, pensamentos

What about love?

‎”E o amor?, você me pergunta. O amor, ah, sei lá. O amor nem dá pra definir direito. Acho que é um desejo de abraçar forte o outro, com tudo o que ele traz: passado, sonhos, projetos, manias, defeitos, cheiros, gostos. Amor é querer pensar no que vem depois, ficar sonhando com essa coisa que a gente chama de futuro, vida a dois. Acho que amor é não saber direito o que ele é, mas sentir tudo o que ele traz. É você pensar em desistir e desistir de ter pensado em desistir ao olhar pra cara da pessoa, ao sentir a paz que só aquela presença traz. É nos melhores e piores momentos da sua vida pensar preciso-contar-isso-pra-ele. É não querer mais ninguém pra dividir as contas e somar os sonhos. É querer proteger o outro de qualquer mal. É ter vontade de dormir abraçado e acordar junto. É sentir que vale a pena, porque o amor não é só festa, ele também é enterro. Precisamos enterrar nosso orgulho, prepotência, ciúme, egoísmo, nossas falhas, desajustes, nosso descompasso. O amor não é sempre entendimento, mas a busca dele. Acho que o amor não é o caminho mais fácil, pois mais fácil seria dizer a-gente-não-se-entende-a-gente-não-combina-tchau-tchau. O amor é uma tentativa eterna. E se você topar entrar nessa saiba que o amor encontrou você. Seja gentil, convide-o para entrar.”

“So what about love?’ – you ask me.

I tell you, I don’t know. Love cannot defines. Love never gives to set right. I think that is a strong desire to embrace the other, with all that it brings: past, dreams, projects, quirks, flaws, smells, tastes. Love is wanting to think about what comes after, dreaming about this thing that we call future life together. I think love is not knowing what it is, but feel all that it brings. Is thinking of quitting and quitting have thought about quitting to look at the person’s face, to feel the peace that only brings that presence. It’s the best and worst moments of your life thinking must tell-it-to-him. You do not want anyone else to split the bills and add up the dreams. You want to protect him/her from harm. You feel like sleeping and waking embraced together. You feel worthwhile, because love is not just party, he is also buried. We need to bury our pride, arrogance, jealousy, selfishness, our failures, misfits, our mismatch. Love is not always understanding, but the pursuit of it. I think love is not the easy way out, because it would be easier to say-we-don’t-understand-if-the-people-not-match-bye-bye. Love is an eternal attempt. And if you run into that know that love has found you. Be gentle, invite themto join.”

Anúncios

Autor:

Escrever é enfiar o dedo na garganta.

Uma opinião sobre “What about love?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s