Publicado em cotidiano, pensamentos

</3

Esta será minha última vez. Última vez escrevendo como alguém que amou demais.

Amou demais as palavras bonitas, os abraços apertados, os sorrisos e cócegas. Alguém que amou demais os carinhosos tapas na perna e beliscões, mas que também amou demais sentir aquela mão desenhando meu corpo. Amou demais as promessas, as saudades, as conversas, a maneira de ser tratada.

Amou demais, acreditou demais, se entregou demais. Amou sem medida alguém que mediu o amor.

Mesmo sem concordar, tentando refutar contra tudo isso, fui até onde era possível ir por mim mesma, mas minhas forças se esgotaram. Para que pudesse continuar, seria necessário tê-lo ao meu lado, no entanto, ele desistiu no meio do caminho.

Sinto-me como… nem sequer encontrei palavra que defina neste momento.

E hoje, experimento o sabor de um amor interrompido, renunciado, vejo meu coração apertar de tal maneira a escorrer pelos olhos.

Restando-me apenas uma opção, no dia de hoje preciso escolher encerrar este capítulo e virar a página. Desejaria finalizá-lo com reticências seguidas de um “continua”, contudo é preciso virar uma página em branco, pronta para ter uma nova história a ser escrita.

Esta foi a última vez que alguém escreveu amando demais.

by Ana Tavarez
Anúncios

Autor:

Escrever é enfiar o dedo na garganta.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s