Publicado em coisas, pensamentos

quanto te encontrar

(…) quando te encontrar, quero também ser encontrada por você. quando te encontrar, quero ficar. e ficando, quero ficar com você. quero ganhar seu coração e entregar o meu. quero sonhar com você seja acordada ou dormindo.

quero envelhecer ao teu lado. quero construir uma história.

quero dançar com você no meio da rua, no meio do nada, sem me importar com os olhares. só com o seu. quero estar com você quando estiver doente. quero cuidar de você. e quando eu sentir medo, quero que me proteja.

me abrace, apenas.

quero rir das coisas que não tem graça e das intermináveis cócegas que você fizer. quero aprender com você as coisas que a vida te ensinou. quero relembrar ao teu lado da primeira briga, da primeira crise, dos choros…

quero construir lembranças. quero amar você.

e quando o dia acinzentar e a minha hora chegar, quero que segure firme na minha mão, me ame ainda mais e não tenha arrependimentos. nesse momento, quero te olhar e dizer que valeu a pena esperar por você. e então, partirei e ficarei te esperando de novo, pra sempre.

trilha do post ♥ ♥ :Sweater Weather – The Neighbourhood
Publicado em coisas, pensamentos, psico

i don’t

I’ve been discovering stuff about my life
that for a long was in a strife.
this is your fault and don’t ask me why
I don’t know the reason and don’t wanna try.

that’s where it all starts.
I got so easily attached to people that I’ve afraid of its departs.
I fall in love too quick and I got sick of it quicker
I don’t like to reveal it
for you do not think I’mma weaker.

people think that I’m super confident and I’m ok about my self-esteem
but for being tough I want to be seen.
then I found out that everytime someone tries to get close
I don’t allow them to get in.
I build some boundaries and for a while I’ve been living like this.

therefore,
I don’t want you to figure out how complexed I am
I don’t want you to figure out how insecure I am
I don’t want you to figure out how afraid I am

ultimately,
I don’t want you to be disappointed at me.

trilha do post: Times like these – Foo Fighters
Publicado em coisas, cotidiano, pensamentos

.peraí.

.peraí. vou ali tirar uma foto na frente do espelho pra mostrar o look do dia + lugar que estou indo + mostrar que sou muito feliz. só faço isso porque todo mundo faz mas na verdade minha vida é um cocô.

peraí. vou ali tirar foto da comida não -sei -porquê mas todo faz. a verdade é que essa comida foi cara e paguei no cartão de crédito.

peraí. vou ali tirar uma foto (“sem perceber” que o decote ta evidente) + versículo bíblico feat. frase de auto ajuda. a verdade é que espero ser elogiada pelos ‘atributos ‘ então nem importa se não tem vírgula na legenda.

peraí. vou ali tirar uma foto com os amigos vida-loka pra dizer que Deus ta no comando e que agradeço a Ele. todo mundo faz isso, mas na verdade eu to nem aí pra Deus.

peraí. vou ali tirar foto no banheiro da balada pra mostrar que “é hoje “. é hoje que bebo todas, fico com vários caras, vou pra cama com um, acordo no dia seguinte de ressaca e totalmente arrependida pelo que fiz. mas todo mundo faz, ne?!

peraí. vou ali fazer de conta que sou outra pessoa ,afinal, todos fazem isso. a verdade é que nem sei mais quem eu sou.

peraí! vou ali pensar.

NÃO É PORQUE A MAIORIA ESTÁ FAZENDO QUE SEJA CERTO.
A MAIORIA, NÃO É UM BOM EXEMPLO.

trilha do post: Stupid Girls – P!nk
Publicado em cotidiano, pensamentos

</3

Esta será minha última vez. Última vez escrevendo como alguém que amou demais.

Amou demais as palavras bonitas, os abraços apertados, os sorrisos e cócegas. Alguém que amou demais os carinhosos tapas na perna e beliscões, mas que também amou demais sentir aquela mão desenhando meu corpo. Amou demais as promessas, as saudades, as conversas, a maneira de ser tratada.

Amou demais, acreditou demais, se entregou demais. Amou sem medida alguém que mediu o amor.

Mesmo sem concordar, tentando refutar contra tudo isso, fui até onde era possível ir por mim mesma, mas minhas forças se esgotaram. Para que pudesse continuar, seria necessário tê-lo ao meu lado, no entanto, ele desistiu no meio do caminho.

Sinto-me como… nem sequer encontrei palavra que defina neste momento.

E hoje, experimento o sabor de um amor interrompido, renunciado, vejo meu coração apertar de tal maneira a escorrer pelos olhos.

Restando-me apenas uma opção, no dia de hoje preciso escolher encerrar este capítulo e virar a página. Desejaria finalizá-lo com reticências seguidas de um “continua”, contudo é preciso virar uma página em branco, pronta para ter uma nova história a ser escrita.

Esta foi a última vez que alguém escreveu amando demais.

by Ana Tavarez
Publicado em coisas, pensamentos

I could…

Eu poderia te ligar. Chamar no bate-papo com a desculpa boba de ter errado de “janela” ou mandar uma simples sms dizendo que sinto a sua falta. Poderia mandar as indiretas mais diretas possíveis, onde só faltaria ter o teu nome. Eu poderia dizer que você mudou a minha maneira de pensar, que você conseguiu fazer comigo o que todos achavam impossível – ser uma pessoa melhor. Poderia te implorar para voltar e não sair mais de perto. Poderia… Mas deixa assim, estou bem do jeito que está. Se você se acostumou – também vou me acostumar

I could call you, ask for your attention on chat or create some silly excuse just to tell you how bad I miss you. I could send so much more possible “indirects”. I could say that you changed my way to think and you made me what everybody thought impossible – made me a better person. I could beg you come back and never go away anymore. I could… But let it be. I’m fine the way I am. If you got used, I will also.